Processo decisório

Falaaa Líder, tudo bem com você?

Você gostaria de tomar decisões, mesmo em momentos de crise, onde as pessoas que são suas lideradas sentissem a confiança necessária em você, para realizá-las?

Existem grandes chances de você – assim como eu no passado – estar cometendo algumas falhas em suas decisões e, consequentemente, tendo dificuldades para atingir os resultados, afinal decidimos a todo instante.

Por isso ressalto que é de extrema importância que preste atenção neste artigo, a fim de melhorar seu processo decisório em busca de resultados.

A boa notícia é que o processo decisório não é um dom e, sim uma habilidade. Isso quer dizer que você é capaz de aprender boas práticas para isso.

Fique tranquilo, pois nesta postagem vou te apresentar 3 dicas para otimizar suas decisões e com isso você se tornar uma pessoa que gera resultados.

  1. É necessário autocontrole para entender o problema
  2. Você deve ter um Plano A e em Plano B
  3. Em momentos de crise, qualquer decisão razoável é melhor que uma “Não decisão”

Por que o autocontrole é importante no processo decisório?

processo decisórioEsta é uma pergunta que eu me fiz algumas vezes e acredito que você deve estar fazendo também. Visto que, normalmente, quando você vai decidir algo, entende-se que você está sob pressão, principalmente se falarmos do mundo corporativo.

Ou seja, será que não é muito melhor “decidir logo” e, automaticamente, ter alguma “tranquilidade”, pois você já estará realizando a ação decidida?

Pois é, você deve se preocupar muito com as decisões tomadas, apenas para fazer o “processo andar”, a tendência é que você não tome uma decisão adequada e, consequentemente, não resolva o impasse e ainda crie mais um novo. 🙁

Por isso que o autocontrole é de extrema importância. Você precisa ter ciência do impasse e – com calma (calma é diferente de lerdeza rsss) – se planejar e buscar as possíveis soluções.

A partir desta análise é que você vai conseguir identificar a criticidade, ou seja, é urgente ou você tem uma “gordura” para colocar a sua decisão em ação?

Uma vez definida, você buscará as alternativas para prover a solução.

E aí que vem o Plano A e o Plano B.

Sim! Você tem que ter uma alternativa de backup que, normalmente é baseada em um controle de risco, por exemplo?

Você é técnico(a) de futebol e seu time está perdendo por 1 a 0, logo o seu impasse é a necessidade de empatar o jogo, então o seu Plano A neste momento é mudar o esquema tático, colocando o time mais ofensivo sem substituir ninguém, em busca do gol de empate.

processo decisórioJá o seu Plano B – se o Plano A não funcionar – é substituir um zagueiro por um atacante, buscando o gol.

O Plano B, se não existir, pode arruinar o seu processo decisório. Se o técnico(a) mantiver somente o Plano A e o time não estiver rendendo, não alcançará o objetivo, ou seja, o gol.

Vejo muitas pessoas “confiantes” apenas no Plano A e que não alcançaram o resultado esperado. Mas, tenho certeza que não é o seu caso! 🙂

Apenas ressalto que você deve ter cuidado com a confiança, por mais que pareça simples, tenha um Plano B.

Mas, Bonel, sempre terei de ter no mínimo 2 planos??

“Sempre” é uma palavra muito forte! rsss

E aí que entra a última dica: “Qualquer decisão razoável é melhor que uma não decisão”. 

processo decisórioVocê já deve ter passado por alguma situação de emergência. Eu já passei por uma bem crítica que foi um Alarme de abandono de prédio por motivo de fogo! Sim!! Eu passei por isso!

Nestas situações, o processo decisório tem de ser urgente e tem que acontecer. Não há espaço para “não decidir”.

Você precisa “ordenar” a todos que deixem o prédio.

Utilizando o exemplo do técnico(a) acima, se aos 46 minutos do segundo tempo, o time ainda estiver perdendo por 1 x 0 e ele tiver um escanteio a seu favor, a decisão de emergência é “Goleiro vai pra área tentar cabecear essa bola pro gol”.

Isso faz sentido pra você? 🙂

Se você seguir somente estas 3 dicas, tenho certeza que suas decisões serão muito mais assertivas e seus resultados serão alcançados.

Sugiro que para você treinar essas habilidades, comece decidindo sobre temas do seu dia a dia, como por exemplo: Qual restaurante comer?, Fazer no micro-ondas ou no forno?, Qual mercado devo comprar?

Enfim, treine, treine e treine.

O Processo decisório não é um dom e sim uma Habilidade. Treine!

Eu sei que é só um artigo e não dá para falar tudo sobre o processo decisório mas, prometo que farei um vídeo falando um pouco mais sobre o tema. 🙂

Aproveite e faz o download do e-book “3 dicas incríveis sobre como dar um feedback negativo motivador”. Vai mudar a sua forma de pensar sobre o tema.

Abs.

...e vem comigoooo!

Videoaula GRATUITA te ensina 2 exercícios de autoconhecimento, para você gerar mais resultados.
Quais são seus pontos fortes? Quais as oportunidades que você tem para conquistar seu objetivo? Descubra agora, inscrevendo-se GRATUITAMENTE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *